Paris retrô ou moderna? Escolhas e a arte que existe por trás de um projeto

Parede descascada, reboco ou tijolos aparecendo, objetos desgastados pelo tempo… já viu isso em decoração? Há algum tempo atrás até causou polêmica. Uma atriz, qual era o nome mesmo… ah, Bruna Linzmeyer virou alvo das redes sociais por ter optado por uma composição digamos assim incomum. Um buraco na parede, uma poltrona rasgada, livros amontoados, lembra disso?
E na Casa Cor no mesmo ano, alguns meses depois, a parede no reboco e os objetos envelhecidos apareceram novamente. Era um ambiente conceitual, mas não deixou de gerar burburinho.
Então hoje, nosso blog convida a refletir sobre o assunto. Autoral e poético ou simplesmente falta de grana, bom gosto e afins? Qual versão faz sentido para você? Ou ambas fazem?

A Casa Cor São Paulo 2017 cuja premissa era “o essencial” expresso em 69 ambientes apresentou uma suíte conceitual que expressava a conexão com os elementos construtivos e com processo de criação que resultou no que foi apresentado aos visitantes.

foto oficial Casa Cor – fotógrafo Denilson Machado

Uma escada em concreto aparante sem nenhum tratamento além de resina é totalmente pertinente ao estilo estilo industrial de viver, capa de muitas revistas Arquitetura & Construção dos últimos tempos. Causa espanto até nos profissionais envolvidos em sua execução. E encanta outros.

Vigas aparentes vão pelo mesmo caminho. Super combinam com uma decoração contemporânea. São integradas à decor.

E o que dizer do estilo clássico? Caberia uma parede descascada  ou um móvel danificado? Em uma viagem a França em 2006 me encantei com um livro repletos de imagens belíssimas do estilo clássico e trouxe-o comigo. Quando o abri me deparei com uma estética que remonta a séculos e da qual nós que vivemos aqui do outro lado do oceano não conseguimos entender completamente. Cada puído do estofado, cada lasca da madeira conta histórias de outras épocas, faz parte do DNA do povo francês. Tome Notre Dame como exemplo. Ou o palácio de Versalhes. Históricos sim, porém mais que isso. Nesse cenário a escolha da atriz em manter uma poltrona desgastada pelo tempo faz muito mais sentido. Ou não faz? Cada um de nós formula suas respostas. Pela negação ou pela afirmação. E isso faz plenamente parte do processo de decorar, de planejar um ambiente.

 

Uma amiga íntima durante um tratamento odontológico recebeu da dentista uma correção de um pequeno quebradinho no dente da frente. Era quase imperceptível mas a dentista achou por bem tratá-lo. E qual não foi sua surpresa quando minha amiga pediu para voltar ao que era? Ela se olhara no espelho e não se reconhecera. Parecia que parte de si estava faltando. Aquela pequena imperfeição quase invisível fazia parte da sua história. Muitos diriam que é uma enorme besteira. Mas para minha amiga fazia todo sentido.

Assim acontece com a decoração. Mesmo que o mundo diga o contrário, se para você faz total sentido, até um trincadinho ou uma parede descascada podem permanecer.

São escolhas e cada um faz a sua.

Lindo dia para você!

Fique a vontade para comentar!!