Espaços comerciais

Terminando o ano pensando em investir em uma loja, salão de beleza, café ou algum outro empreendimento comercial? Então senta e aproveita as dicas.

Organização do espaço e limpeza vem em primeiro lugar! Quem se sente atraído por um ambiente bagunçado e sujo? De restaurante a shopping todos queremos limpeza, a clara certeza de que o espaço foi bem planejado, de que sabemos onde encontrar aquilo que precisamos. Se há prateleiras ou armários, que esses estejam sempre em ordem, que nunca atrapalhem a circulação. Uma loja na qual as roupas são distribuídas nas prateleiras ou araras por cor e tamanho facilita a visualização e, consequentemente, a escolha. Um piso fácil de limpar, uma parede que nunca está manchada, um papel de parede devidamente colado, pequenos detalhes que importam. Manutenções constantes deixam tudo com cara de novo. Desde a fachada do estabelecimento numa continuidade pelo interior, essa preocupação deve nortear o design.

 

Simetria! Essa palavrinha tão simples representa um grande desafio e ao mesmo tempo muita praticidade e a sensação de que há um fio condutor que rege a decoração. Fica muito mais fácil definir os corredores de circulação, por exemplo, se há simetria. Espaços bem definidos nos atraem.

 

Aroma… A aromaterapia não serve apenas para spas. Muitos lojistas e empreendedores já perceberam isso. São inúmeras as lojas que investem numa essência especial para atrair o senso olfativo dos clientes.

Flores! Sempre bem vindas, num restaurante ou café são essenciais. Não precisa nenhum vaso rebuscado para colocar. Basta uma garrafinha de vidro, simples com água e pequenas flores em cada mesa, já dá um bem-estar, uma vontade de curtir o momento.

Cores bem pensadas para cada atividade. Existe dentro da teoria das cores uma vertente psicológica na qual se avaliam os efeitos de cada cor nas pessoas. Faça uma pesquisa, avalie qual estímulo você deseja causar.

decoupage

Móveis firmes e duradouros! Ninguém quer ficar trocando toda a hora de mobiliário. Ninguém quer sentar num sofá, cadeira ou poltrona quebrados! Ah, e na medida correta. A circulação como dito acima deve fluir.

Iluminação caprichada e que vise a uma excelente reprodução das cores (consulte quais as lâmpadas com melhor IRC). Um ambiente mais intimista e acolhedor por sua vez, como alguns restaurantes e cafés, pede luz baixa. Nesse caso o Índice de Reprodução de Cores não é tão relevante.

Essas são pequenas dicas.

A principal é dar o melhor de si! Sempre, em tudo!

Gostou das dicas? Foram úteis?

Siga-nos no facebook.

Assine nossa newsletter.

 

 

Como dar um up no nosso querido cimento??

O post de hoje é para você que, como nós, ama cimento e quer deixar cada cantinho ainda mais atraente e aconchegante. Anota aí as dicas!! E se tiver mais algumas, manda pra gente?? Adoramos idéias novas!

O cimento marmorizado é moderninho, versátil e principalmente neutro. Combina com quase tudo! É um coringa. A partir dessa base podemos ousar nos adornos, nas cores dos objetos, tapetes, móveis. Abre um leque de possibilidades.

Quando se trata de pisos, por exemplo, um belo rodapé branco e alto deixa o ambiente mais sofisticado. Claro que, se o pé direito for duplo é super indicado um rodapé proporcional, acima dos 15 cm de altura. Porém, se a altura do piso ao teto for inferior a 2.70 de altura o rodapé fica elegante entre 10 e 15 cm no máximo. Faz-se necessário o olhar de um bom profissional de interiores para analisar isso e especificar a melhor escolha. Dica importante: o material mais adequado para a peça, nesse caso, é o poliestireno ou EPS que é altamente resistente a umidade.

Também podemos aplicar detalhes como o ladrilho hidráulico que super combina com áreas gourmet e/ou externas e de refeição. Até mesmo no banheiro pode ficar bacana.

 

Já vi adesivos, mais comumente aplicados em parede, fazerem bonito no piso. Contudo, pensando na durabilidade não sei se seria uma boa opção. Esteticamente, não há como negar que dá um charme.

Nas paredes são muitas possibilidades!! Adesivos são muito bem vindos, obras de arte são elevadas a categoria máxima, peças artesanais ganham destaque, objetos dos mais variados tipos se sobressaem,  madeira fica em evidência, quadros com fotos… Basta trabalhar bem a idéia e arrasar!!

Cor, pode ousar a vontade. Quando um ambiente com tantas peças em amarelo seria possível?

Uma das últimas obras da Brasipiso

E essa fachada externa com dois vasos vietnamitas vermelhos e toldo em grafite? Demais, não é?

Brasipiso aplicado em área externa

Lembra do banheiro com peças de cobre desse post aqui?

Há ainda a possibilidade de aproveitar para dar seu toque pessoal. Considerando a tendência do DIY (do it yourself), um bastidor bordado, uma peça em MDF com aplicação em tecido, uma foto que você mesmo tirou numa moldura legal, uma mandala em crochê, tem muita coisa mesmo que pode ganhar o pódio da decoração  numa parede de cimento. Se faltar inspiração, abra o Pinterest ou visite a Zôdio em São Paulo que certamente você achará um caminho.

Bastidores bordados a mão

 

Gostou do post? Tem alguma dica pra enriquecer?

Manda pra gente!!!

Assine nossa newsletter!!

 

 

 

 

 

Zôdio, a nova onda francesa que está chegando ao Brasil

Final de ano, festas chegando e eis que inaugura em São Paulo – anexa a Leroy Merlin da Marginal Tietê – a Zôdio.

De DNA francês e com uma pegada “faça você mesmo” a loja parece reunir um pouco de tudo o que se vê em portais de decoração como o Pinterest.

 

A sensação que dá é que você adentrou uma de suas páginas, porém com a facilidade de poder tocar, experimentar, escolher.

 

 

 

 

De itens de decoração a culinária, sim a loja tem molhos, azeite a granel, snacks para receber os amigos e temperos além de panelas, é possível encontrar muita coisa bacana por lá.

 

Começa logo na entrada. Um pequeno stand oferece comida de verdade, sem conservantes em potes para você montar seu cardápio e esquentar ali mesmo no microondas disponibilizado especialmente para isso. Da salada a sobremesa.

Scrapbook, bordado, tricô, crochê, tear, trabalhos manuais em geral foram abrangidos na proposta. Até Lã Merino, 100% natural nós vimos! E também aulas de culinária e ateliê de artesanato (veja a programação no site). Acredita que você consegue montar sua própria luminária? Personalizar sua caneca na hora? Comprar itens para engarrafar sua própria cerveja? A loja deixa a gente meio pirada num primeiro momento.

Quanto aos preços… bem aí já é outra história! Estivemos por lá no último final de semana, o primeiro da franquia no Brasil, e o que se ouvia nos corredores lotados além de “puxa, você viu isso? Que legal!” era também “nossa, tá muito caro! Lá na 25 de Março tá bem mais em conta!”. Sim, na região da Rua 25 de Março manjadíssimo centro de compras da capital é possível encontrar itens similares distribuídos em várias lojas. Principalmente nas que vendem artigos de festa e culinária como a Gaivota (festas, scrapbook, artesanato em geral) e Doural (cozinha e afins). Etna e Tok Stock também tem algo parecido. Porém, alguns itens são exclusivos da Zôdio. E certamente você não encontrará tamanha organização em prateleiras e espaços na 25 de Março. São mais de 20 mil produtos entre duráveis e perecíveis.

O serviço ainda precisa de ajustes. Na devolução de um valor que estava em desacordo com o da etiqueta, perdemos mais de quarenta minutos. Contudo, foram todos muito cordiais. Especialmente alguns funcionários franceses que a franquia trouxe consigo para organizar a logística.
Enfim, nossa dica é se você gosta de decoração e de meter a mão na massa vá até a loja nem que seja para conhecer e se inspirar. Sinceramente, duvido que você saia de mão abanando…rsrsrs

Serviço:

Fotos: Site oficial e redes sociais da Zôdio, imagem destacada – Fabi Congio

 

Lavabo bem resolvido

“Lavabo é um depósito de água (por exemplo uma pia) para lavar as mãos”

Wikipédia

O menor cômodo da casa, em geral, é também um dos mais elaborados quando o assunto é decoração. Já percebeu isso? Para ele são selecionados os melhores materiais, as melhores louças, os metais mais bonitos, a toalha mais nova, flores e por aí vai. Não é sem sentido todo esse cuidado. O lavabo, assim como o hall de entrada, são os cartões de visita da casa por assim dizer. Queremos oferecer o melhor para quem chega! Receber com aconchego e carinho!

E quando compramos o imóvel dos sonhos, seja novo ou usado, é exatamente ali que podemos ousar. Um lavabo com personalidade encanta. Temos aqui um antes e depois que viaja justamente nessa idéia. Abaixo como foi entregue pela construtora. Sem piso, com a cuba padrão do empreendimento.

Antes

E nesta outra foto com o toque da designer. Piso e meia parede em porcelanato de grandes formatos. Filetes de metal especialmente confeccionados para o projeto. Espelhos na metade superior da parede para ampliar o espaço exíguo. Modelo de bacia super bacana da Deca.

Depois

Ousadia é o mote de outro lavabo incrível que a Kelly da Kfloreste Arquitetura e Interiores desenvolveu para uma residência em Jundiaí. Com metais em cobre e piso + paredes em cimento marmorizado, ele se destaca pelo minimalismo e personalidade. Nas palavras da arquiteta:

“O desejo da cliente desde o início foi usar uma cuba em cobre, por isso fiz essa composição em marmore branco para destacar a peça tão desejada e o cimento cinza escuro da Brasipiso veio completar o estilo contemporâneo que eu buscava para esse projeto! O resultado ficou mesmo muito bacana!”

Mais um projeto que leva cimento, nesse caso muito bem acompanhado por uma linda parede de madeira entalhada (ou seria um porcelanato que imita fielmente a madeira?):

Alguns detalhes a destacar, o suporte de ferro trabalhado vem direto das Minas Gerais. De Tiradentes, para ser mais precisa. A cestinha de latão virou porta papel. E o ralo é do tipo que pode até ficar aparente. Por ter um excelente acabamento, não faz feio.

E você? Tem um lindo lavabo para mostrar?

Manda pra gente?

Lindo final de sábado para você!

Assine nossa newsletter!

 

Ficha técnica:

Lavabos 1 e 3 – designer: Fabi Congio

Local:

1 –  BairroTatuapé – São Paulo – SP

3 – Itupeva – SP

Contato: fabicongio@gmail.com

Lavabo 2 – Arquiteta Kelly da Kfloreste

Local:

2. Jundiaí – SP

Contato: contato@kfloresteprojetos.com.br

Notícias do mundo da arquitetura

O WAF (World Architecture Festival) é o maior festival de arquitetura do mundo. Premiando projetos de destaque na área,  executados ou ainda por executar incluindo desenhos manuais, tornou-se referência no setor. Casa a prova de ciclones, museu marítimo subterrâneo, templo budista, biblioteca… a diversidade é marcante no festival. Esse ano sua sede foi Berlim e aconteceu de 15 a 17 deste mês de novembro. Contou com palestras, workshops, conferências entre outros eventos.

Nesta 10å edição Brasil esteve entre os 68 países participantes. De São Paulo a Casa Triângulo assinada pelo escritório Bernardes Arquitetura, estava entre as finalistas na categoria habitação. A estação de metrô de Salvador, de João Batista Martinez Correa, concorreu na categoria transportes.  Ainda na capital paulista o projeto Retrofit Melhoramentos de Guilherme Torres, também participou da disputa de melhor espaço comercial de uso misto.

Casa Triângulo

 

Estação de Metro em Salvador

 

Retrofit Melhoramentos

Paralelo ao festival, aconteceu o INSIDE World Festival of Interiors do qual saiu ganhador o que foi considerado o melhor projeto de interiores de 2017. Altamente conceitual e arrojado, o interior da loja Herman Miller em Singapura projetado pelo escritório Produce Workshop acomoda uma estrutural surreal de painéis de madeira compensada que dão o efeito de tecido a quem olha. Dá até vontade de se recostar as paredes de tão fofas que parecem. Realmente, merecedor do prémio ele é o nosso destaque de hoje. Sem mais. Resta observar as fotos publicadas no site do WAF.

Loja Herman Miller, grande ganhador na categoria interiores 2017

Para fechar o post, o igualmente surreal projeto de uma torre de observação da natureza de 2016 na Dinamarca. O que mais podemos falar?? Só que a arquitetura é uma arte essencial, é  mágica!!

Treetop
Foto: EFFEKT’s

Quer saber mais sobre o mundo da decoração e do design? Assine nossa newsletter.

 

 

 

Um toque de cor e de vida

Quando converso com alguém a respeito de decoração, projetos e afins, a primeira pergunta, a dúvida geral que encontro é a seguinte: qual cor colocar nesse ou naquele ambiente? Pinto ou não a parede da sala de x ou y cor?

Parece que sem cor o ambiente vai ficar sem graça, meio morto, com cara de hospital como muitos temem.

Num projeto de decoração completo a cor embora relevante não tem tanto peso quanto a maioria das pessoas imagina. O espaço preenchido ou vazio, a iluminação dirigida ou geral, os acabamentos e texturas, os móveis e objetos são na verdade a alma de um espaço. A cor nesse sentido vem somar e dar vida a um ambiente por si só harmonioso. Um bom projeto é aquele no qual qualquer cor encontra seu lugar, onde poderia ser substituída sem comprometer a harmonia, o todo.

Com o lay out – posição de todas as coisas – definido, com os móveis mensurados (ninguém quer comprar um sofá que não cabe na sala), com os acabamentos especificados (cimento queimado ou porcelanato, madeira ou laminado, etc)  somente aí nos preocuparemos com os detalhes. Nos damos conta então de que o projeto parte de outras premissas, outras necessidades. Para no fim, ser preenchido de vida. De cor. E essa cor não precisa necessariamente estar nas paredes ou nos móveis. Se nos colocarmos como observadores neutros, podemos perceber isso. Olha só essas imagens:

 

 

 

Recortei o original para que você possa captar melhor os detalhes. No primeiro quadro temos uma sala base. Cimento queimado, palha da mesa e outra fibra presente nas cadeiras, sisal do tapete – ou seja acabamento, móveis e objeto – são todos elementos neutros. Percebe que o destaque maior, o contraponto é o verde lá fora?

 

 

 

 

 

 

 

 

No segundo quadro temos os mesmos elementos e um vaso verde que chama a atenção novamente por se contrapor a neutralidade do restante do ambiente.

 

 

 

 

 

 

Por fim, no terceiro quadro (miniatura) temos mais objetos e vegetação interna reforçando a cor. Ela não deixou de aparecer. Poderia ser substituída tranquilamente por outra (azul, vermelho, amarelo) pois os elementos chave são todos neutros e permitem esse tipo de mudança. Eles seguram a onda.

Vejamos mais exemplos:

Essa idéia de base sólida e de cor que dá vida, pode se estender também aos adornos, aos objetos. Vamos nos apropriar de outra imagem:

 

Qual é o elemento de destaque para você nesse ambiente? Para mim, são as caveiras. Eu poderia até dizer que aí falta um pouco de cor, um tapete, algo assim. Mas definitivamente meu olhar é atraído para o dourado da caveira. Para seu toque inusitado. São itens que podem causar espanto, estranheza ou a mensagem de algo moderno, mas certamente não passam despercebidas. No restante o ambiente é novamente neutro. Apenas as caveiras e o quadro distraidamente _ ou não? – deixado atrás do sofá é que captam minha atenção nessa cena. E são apenas objetos, adornos. Percebe como a base bem feita é importante? Poderíamos trocar as caveiras por corujas marrons, pássaros de porcelana azuis, vasos vermelhos, objetos em tom de cobre, conseguiu imaginar? Nada disso importa. Nenhuma alteração desse tipo iria tirar a harmonia da cena, pois a base ali está bem definida.

Quer mais um exemplo?

 

Observando essa sala de jantar ai de cima você acha que falta algo? Sofá, cadeiras e piso são quase na mesma cor, alterando praticamente apenas os tons. Os aparadores lá atrás são em tom de madeira, objetos sobre eles também seguem os mesmos tons e características do restante do ambiente. Até o tapete que é colorido, parece não fugir dos tons presentes. Então que tal fazer um pequeno exercício? Imagine colocar nesse mesmo aparador algum objeto em vermelho. Ou amarelo, ou qualquer cor que lhe agrade (exceto é claro as que já estão ali). Destoou? Ficou bom? Virou ponto focal? Deu vida? Pesou??

Você faria algo parecido?

Deixe sua impressão aí nos comentários!! Queremos muito saber o que você pensa a respeito.

E assine nossa newsletter!! Vamos amar compartilhar com você um pouco de tudo que a gente vê.

 

Nota: todas as fotos são de clientes Brasipiso Moderno.

Container, por quê não?

Para quem gosta de arquitetura e decoração as novidades nessa área sempre prendem nosso interesse. Tenho visto cada vez mais contêineres sendo incorporados a paisagem urbana. Em geral são estabelecimentos comerciais que ficam despojados e contemporâneos com a utilização desse material. Mas algumas casas também usam a alternativa que se diz sustentável. Será?

Bom para começar os contêineres atendem a um dos princípios básicos da sustentabilidade, são recicláveis. Utilizados por muitos anos no transporte naval, estão encontrando sua “aposentadoria” em terra firme transformados em casas, lojas, prédios e pasmem até piscinas!! São versáteis, fáceis de montar e por possibilitarem uma obra mais limpa estão se multiplicando pelas redondezas.

Depois de  atender ao transporte de cargas por aproximadamente 20 anos, os contêineres são comumente abandonados nos portos. Seu reuso na arquitetura é viabilizado por um processo de limpeza, funilaria e pintura. Depois ele é transportado para o local da instalação e ali são instalados revestimentos e acabamentos.

“Laudos de habitabilidade e de descontaminação contra agentes químicos, biológicos e radiativos são documentos que certificam a segurança do container como estrutura da construção.” Portal AECweb

Se houver necessidade de mudança, bastam alguns ajustes, um guindaste e um caminhão. Em pouco tempo ele estará “habitável” novamente.

Mas, para que realmente atenda ao conceito de sustentável é necessário um projeto que avalie a ventilação e incidência solar visando ao conforto térmico. Torna-se então possível reduzir o uso de ar-condicionado. Para reutilizar um container podem ser contemplados, além de telhado verde:

 

  • Paredes e forros em drywall contribuirão para menor quantidade de entulho na obra, uso de materiais recicláveis, e melhor desempenho termoacústico.
  • Uso de lã de PET, isolante térmico feito à base de garrafas PET, da Trisoft, que recebeu o prêmio “Planeta Casa 2010” na categoria materiais de construção.
  • Sistema misto de aquecimento solar, de tubo de vidro a vácuo + sistema elétrico de compensação, que monitora a temperatura da água e quando necessário utiliza energia elétrica.
  • Uso de salamandra para aquecimento do pavimento inferior com aproveitamento do duto da chaminé para aquecer o dormitório superior.
  • Pintura ecológica: tintas à base de água, sem cheiro,com baixa taxa de COV- Compostos Orgânicos Voláteis.      Portal Met@lica – Construção Civil

 

Em termos de custo, também é uma solução bastante viável. Então, para concluir, algumas fotos de contêineres no interior do estado de São Paulo. E outras de projetos conceituais fora do Brasil. Aprecie a vista!!!

 

Café com História _Itatiba_Crescendo_coma_vida
Café com História em Itatiba – SP Foto: Fabi Congio

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Screen Shot 2017-11-20 at 22.55.28
Café Container – Campinas – SP

 

Screen Shot 2017-11-20 at 21.29.29
Whitaker Studio – Uma casa no deserto Fonte: Arch Daily Brasil

 

Screen Shot 2017-11-20 at 21.30.33
Piscina container da Modpool Fonte: Arch Daily Brasil

 

Screen Shot 2017-11-20 at 22.09.32
Container City I e II – localizada no Trinity Buoy Wharf – Londres Fonte: Minha Casa Container

 

Tá achando uma alternativa bacana? Quer saber mais?

 

Assine nossa newsletter!!

 

Cultura e arquitetura – Agenda

Você é fã de arquitetura e design? Então programe-se para o próximo final de semana prolongado e aproveite as novidades!

Tem várias coisas interessantes acontecendo nas principais cidades do país. Mora no interior? Dependendo da distância vale até um bate e volta.

Anote aí!

Em São Paulo visite:
11å Bienal de Arquitetura de São Paulo com o tema “Em projeto”.

 

São diversas atividades, incluindo uma entrevista com Sou Fujimoto que participa da exposição da Japan House.
Para mais informações sobre as exposições e atividades, acesse a programação completa no site da 11ª Bienal de Arquitetura de São Paulo.

Exposição “Futures of the Future”, de Sou Fujimoto (arquiteto expoente da arquitetura japonesa contemporânea)
Local Japan House São Paulo
Endereço Av. Paulista, 52, Bela Vista, São Paulo
 (SP)
Período expositivo 21 de novembro de 2017 até início de 2018
Horário 10h às 22h (terça a sábado); 10h às 18h (domingos e feriados)
Mais informações (11) 3090-8900

Entrada gratuita

Exposição 31º Prêmio Design MCB
Local Museu da Casa Brasileira
Endereço Avenida Faria Lima, 2.705 – Jardim Paulistano – São Paulo (SP)
Abertura 11 de novembro de 2017 (sábado)
Visitação Até 21 de janeiro de 2018
Horário 10h às 18h
Ingressos De terça a sexta-feira R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia-entrada); Gratuito aos fins de semana e feriados
Mais informações (11) 3032-3727

Exposição “Casas de Vidro-História e Conservação”,  projetos de MIES VAN DER ROHE, PHILIP JOHNSON, CHARLES E RAY EAMES e LINA BO BARDI Local Casa de Vidro
Endereço R. General Almério de Moura, 200, Morumbi, 
São Paulo – SP
Período 12 de outubro de 2017 a 4 de março de 2018
Visitação De quinta a domingo, em horários específicos: 10h15, 11h45, 14h e 15h30
Entrada R$ 20,00 (inteira); R$ 10,00 (meia)
Informações (11) 3744-9902
Visitas educativas: agendamentoeducativo@institutobardi.org

No Rio de Janeiro veja:
Oscar Niemeyer – Territórios da Criação – Exposição comemorativa dos 110 anos de nascimento do arquiteto
Local Pinakotheke Cultural Rio de Janeiro
Endereço Rua São Clemente, 300, Botafogo, Rio de Janeiro – RJ
Visitação pública 10 de novembro a 16 de dezembro de 2017
Horário Segunda a sexta-feira, das 10h às 18h, e aos sábados, das 10h às 16h
Informações (21) 2537-7566

Entrada gratuita. Estacionamento gratuito no local.

E aí na sua cidade? O que está acontecendo de bacana? Se for do universo da decoração, manda pra gente! Ficaremos felizes em postar por aqui.

Assine nossa newsletter e saiba mais!

Reforma, respira fundo e acalma

Olá!!!

Hoje vamos falar de um assunto assim, digamos, delicado. Muita mas muita gente mesmo tem experiências incríveis com o reformar e o construir. Mas, em muitos casos também as coisas não saem exatamente como o planejado. Então se você está passando agora, agorinha mesmo por uma situação como essa… senta, respira fundo e leia o texto. Pode te ajudar!

Final de ano todo mundo naquela correria louca querendo terminar todas as coisas, resolver todas as pendências, os chefes parece que pensam que o mundo vai acabar no último dia de dezembro, a gente pensa tal e qual sobre o nosso negócio, o nosso trabalho, a nossa reforma. Socorro!!! Quem foi que nos fez acreditar que os planos vão pelo ralo junto com a decoração de Natal dos Shoppings?

Lembra de um tempo em que o Natal só começava mesmo em dezembro e aquele clima gostoso de festa se estendia até janeiro? Pois é, com a pressão pelas vendas, pelo lucro, pelos resultados, nosso final de ano começa em outubro e tudo o que ele simboliza vaza pelos dedos no último dia de dezembro. Calma pessoal! Muita calma nessa hora!!

Sim eu sei, você tem planos. Eu tenho planos, todos temos. E a expectativa mata a gente!! Sério!! Os níveis de cortisol, hormónio do stress, vão as alturas quando perdemos a cabeça. Sim, dá pra entender! Você sonhou que iria passar as festas na casa nova. Ou que iria inaugurar a piscina, a churrasqueira, a sauna ou qualquer outra coisa que estava inclusa na reforma. E é altamente frustrante perceber que o tempo está passando “rápido demais” e talvez não dê para realizar o seu sonho.

Vamos pensar um pouquinho a respeito?

Será mesmo que o tempo está passando tão rápido ou você está acumulando milhares de coisas pra fazer ao mesmo tempo? A obra está sob a responsabilidade de alguém? Ou você está fazendo todas as compras de material sozinho (a)? Sabe, os prestadores de serviço as vezes  precisam de uma ajudinha para lembrar de todos os itens necessários para realizar aquele trabalho em especial. Ajude-os a lembrar! Faça uma lista, peça pra avisarem com determinado tempo de antecedência para que você possa se organizar. Tem coisas que acabam em cima da hora ou foram mal calculadas, mas a maioria dos elementos de uma obra podem ser mensurados e previstos bem antes.

Acabou o produto, não te avisaram e ainda por cima disseram que vai atrasar se não chegar logo? Então, antes de sair dirigindo perigosamente e praguejando contra tudo e contra todos, o que definitivamente não irá deixar seu dia e sua obra melhores, respire! Tão simples que a gente nem lembra. Converse, com calma. É possível que o prestador compre o material e te traga a nota?  Há alguma coisa que ele possa fazer – veja bem não é castigo – para facilitar levando em conta que foi falha na comunicação? Relembre o combinado. Peça colaboração. Respire.

Sabe aqueles momentos em que você está feliz, radiante, grato e que tudo acontece perfeitamente bem? A vaga certa aparece no estacionamento lotado bem na hora em que você chega! Você nem acredita!!! Parece até que o universo conspira a seu favor?  Pois é, o inverso também é verdadeiro. Por isso por mais correria e loucura que possam estar a sua frente durante uma obra, procure ser racional. Eu sei que é difícil, já fui irracional umas tantas vezes e posso te garantir que não funciona!! Questione-se! A expectativa corresponde ao real? O prazo tá curto? Lembre-se o mundo não vai acabar em dezembro! Porquê todos os seus planos precisam ser executados a risca até lá? Será que um pouco de flexibilidade não te deixaria mais leve, menos estressado (a) e de quebra facilitaria o fluxo do trabalho? Quando a gente estabelece uma meta irreal, num prazo apertado e ainda põe a maior pressão em cima dos prestadores… veja a receita para uma bomba está pronta! Ao invés disso, converse, marque uma reunião com todo mundo. Seja firme, mas seja racional. Ouça as pessoas. Indague as razões do que não saiu como deveria. Somos todos humanos, lembra? E todos cometemos erros.

Programe-se! Muitas fábricas fecham no final do ano, entram em férias coletivas. Se você acredita que irá precisar daquele piso maravilhoso que viu na loja, liga agora mesmo pra lá e reserva. Compra o quanto antes. Há alguns anos atrás as lojas avisavam quando as indústrias iriam parar de receber pedidos. Em geral era em dezembro. Depois conforme o consumo aumentou, os pedidos deveriam ser encaminhados em novembro. E hoje em dia, existem fábricas que fecham suas agendas em outubro. Percebe? Sem planejamento é muito fácil perder o prazo, a cabeça, a tranquilidade…

Acalmar, respirar, racionalizar, planejar!! E lembrar que o mundo segue… em breve teremos mais 365 dias para realizar aquilo que nos move.

E vai ficar lindo!!! Tenha certeza!!

Boa semana para você!!