Reforma, sim senhor!

Olá!! Você vê cada projeto incrível de arquitetura, mas essa não é sua prioridade no momento? Seu desejo atual é reformar a casa, trazer o novo, reciclar as idéias? Senta que esse post é seu.

Em geral o que mais incomoda são os ambientes de convívio. Tanto faz se é uma família, um casal ou mesmo quem mora sozinho e costuma receber os amigos. Então, sala de estar e cozinha serão nossos focos. Sobre lavabo temos um post quentinho aqui. Mas, as dicas que daremos também servem para ele.

Começaremos pela cozinha! Lugar por excelência em que os bons gourmets vão querer se reunir. Pode apostar, se você marcar um jantar com os amigos em casa, eles fatalmente irão entrar nesse espaço. Mesmo que uma porta o separe do restante do ambiente.

E como renovar azulejos antigos, revestimentos que não combinam mais com seu estilo de forma prática e menos indolor? Bem existem algumas possibilidades.

  1. Quebrar tudo e começar do zero. Vantagens: vai ficar do seu jeitinho, tudo novo e lindo como sonhou. Desvantagens: Gera um monte de entulho, não é muito amigável com o meio ambiente. Você provavelmente ficará alguns dias sem acesso a cozinha. Leve em conta o custo de demolir, preparar a parede para receber o novo revestimento, fazer a aplicação, finalizar com a limpeza. Além do revestimento em si, da argamassa e do rejunte.Screen Shot 2018-02-20 at 21.40.58.png
  2. Aplicar um porcelanato extra fino sobre o existente ou azulejo sobre azulejo. Vantagens: evita a quebradeira e é relativamente rápido. Desvantagens: no caso das paredes o que fazer com as caixas de luz, tomadas e interruptores? Eles vão ficar “afundados” no novo revestimento? Outro detalhe, porcelanato sobre porcelanato ou azulejo sobre azulejo precisam ser muito bem aplicados ou podem se soltar com facilidade. Mesmo tomando esse cuidado, a possibilidade de descolarem é maior do que a peça aplicada da forma tradicional (diretamente na parede ou piso preparado para tal).Screen Shot 2018-02-20 at 21.38.38
  3. Colar azulejos plásticos ou adesivos. Vantagens: no caso dos azulejos plásticos custo similar ao de um papel de parede. Ambos garantem rapidez na aplicação. Desvantagem: não tolera calor (fogão, forno) e a incidência de sol constante pode desbotar o produto.Screen Shot 2018-02-20 at 21.55.49.png
  4. Pintar. Vantagens: você evita a quebradeira e o resultado é relativamente rápido. Gasto menor que as demais opções. Desvantagens: a tinta pode amarelar, descascar, ficar com manchas. O resultado estético final pode não trazer a mudança que você imaginou. Recomendo testar numa área (de 1 x 1 m se possível) antes de pintar a parede toda. E, se optar por essa solução, ficar atento aos rejuntes. É necessário pintá-los também. A tinta mais indicada é a epóxi ou PU (pelo menos na base, consulte seu pintor).
  5. Revestir com cimento. Vantagem: os cimentos atuais tem um acabamento liso e homogêneo; a camada de produto é fina não alterando em nada a disposição de interruptores e caixas de luz; sua aplicação evita a quebradeira, entulhos e é rápida. Desvantagens: Se houver trinca estrutural na parede é necessário tratar antes de usar essa ou qualquer outra solução das citadas acima.  Dica: deve ser aplicada uma base especial para cerâmica antes de revestir com cimento. Por isso procure profissionais especializados.

Screen Shot 2018-02-20 at 15.55.37.png

 

img-20180125-wa00302085999176.jpg

Outras soluções passam por painéis de mdf laminados (só aplicáveis em áreas secas e longe do calor) e painéis metálicos (inox é uma boa saída). Essas soluções também podem ser mistas, combinando uma das alternativas (1 a 5) a um dos painéis.

O importante é que, quando tudo estiver pronto, você possa encher o peito de alegria e que esse sentimento seja duradouro. Afinal de contas na grande maioria dos casos você vai olhar para aquele cantinho TODOS os dias. Vale a pena investir!!

Linda semana para você!!

Como dar um up no nosso querido cimento??

O post de hoje é para você que, como nós, ama cimento e quer deixar cada cantinho ainda mais atraente e aconchegante. Anota aí as dicas!! E se tiver mais algumas, manda pra gente?? Adoramos idéias novas!

O cimento marmorizado é moderninho, versátil e principalmente neutro. Combina com quase tudo! É um coringa. A partir dessa base podemos ousar nos adornos, nas cores dos objetos, tapetes, móveis. Abre um leque de possibilidades.

Quando se trata de pisos, por exemplo, um belo rodapé branco e alto deixa o ambiente mais sofisticado. Claro que, se o pé direito for duplo é super indicado um rodapé proporcional, acima dos 15 cm de altura. Porém, se a altura do piso ao teto for inferior a 2.70 de altura o rodapé fica elegante entre 10 e 15 cm no máximo. Faz-se necessário o olhar de um bom profissional de interiores para analisar isso e especificar a melhor escolha. Dica importante: o material mais adequado para a peça, nesse caso, é o poliestireno ou EPS que é altamente resistente a umidade.

Também podemos aplicar detalhes como o ladrilho hidráulico que super combina com áreas gourmet e/ou externas e de refeição. Até mesmo no banheiro pode ficar bacana.

 

Já vi adesivos, mais comumente aplicados em parede, fazerem bonito no piso. Contudo, pensando na durabilidade não sei se seria uma boa opção. Esteticamente, não há como negar que dá um charme.

Nas paredes são muitas possibilidades!! Adesivos são muito bem vindos, obras de arte são elevadas a categoria máxima, peças artesanais ganham destaque, objetos dos mais variados tipos se sobressaem,  madeira fica em evidência, quadros com fotos… Basta trabalhar bem a idéia e arrasar!!

Cor, pode ousar a vontade. Quando um ambiente com tantas peças em amarelo seria possível?

Uma das últimas obras da Brasipiso

E essa fachada externa com dois vasos vietnamitas vermelhos e toldo em grafite? Demais, não é?

Brasipiso aplicado em área externa

Lembra do banheiro com peças de cobre desse post aqui?

Há ainda a possibilidade de aproveitar para dar seu toque pessoal. Considerando a tendência do DIY (do it yourself), um bastidor bordado, uma peça em MDF com aplicação em tecido, uma foto que você mesmo tirou numa moldura legal, uma mandala em crochê, tem muita coisa mesmo que pode ganhar o pódio da decoração  numa parede de cimento. Se faltar inspiração, abra o Pinterest ou visite a Zôdio em São Paulo que certamente você achará um caminho.

Bastidores bordados a mão

 

Gostou do post? Tem alguma dica pra enriquecer?

Manda pra gente!!!

Assine nossa newsletter!!

 

 

 

 

 

Lavabo bem resolvido

“Lavabo é um depósito de água (por exemplo uma pia) para lavar as mãos”

Wikipédia

O menor cômodo da casa, em geral, é também um dos mais elaborados quando o assunto é decoração. Já percebeu isso? Para ele são selecionados os melhores materiais, as melhores louças, os metais mais bonitos, a toalha mais nova, flores e por aí vai. Não é sem sentido todo esse cuidado. O lavabo, assim como o hall de entrada, são os cartões de visita da casa por assim dizer. Queremos oferecer o melhor para quem chega! Receber com aconchego e carinho!

E quando compramos o imóvel dos sonhos, seja novo ou usado, é exatamente ali que podemos ousar. Um lavabo com personalidade encanta. Temos aqui um antes e depois que viaja justamente nessa idéia. Abaixo como foi entregue pela construtora. Sem piso, com a cuba padrão do empreendimento.

Antes

E nesta outra foto com o toque da designer. Piso e meia parede em porcelanato de grandes formatos. Filetes de metal especialmente confeccionados para o projeto. Espelhos na metade superior da parede para ampliar o espaço exíguo. Modelo de bacia super bacana da Deca.

Depois

Ousadia é o mote de outro lavabo incrível que a Kelly da Kfloreste Arquitetura e Interiores desenvolveu para uma residência em Jundiaí. Com metais em cobre e piso + paredes em cimento marmorizado, ele se destaca pelo minimalismo e personalidade. Nas palavras da arquiteta:

“O desejo da cliente desde o início foi usar uma cuba em cobre, por isso fiz essa composição em marmore branco para destacar a peça tão desejada e o cimento cinza escuro da Brasipiso veio completar o estilo contemporâneo que eu buscava para esse projeto! O resultado ficou mesmo muito bacana!”

Mais um projeto que leva cimento, nesse caso muito bem acompanhado por uma linda parede de madeira entalhada (ou seria um porcelanato que imita fielmente a madeira?):

Alguns detalhes a destacar, o suporte de ferro trabalhado vem direto das Minas Gerais. De Tiradentes, para ser mais precisa. A cestinha de latão virou porta papel. E o ralo é do tipo que pode até ficar aparente. Por ter um excelente acabamento, não faz feio.

E você? Tem um lindo lavabo para mostrar?

Manda pra gente?

Lindo final de sábado para você!

Assine nossa newsletter!

 

Ficha técnica:

Lavabos 1 e 3 – designer: Fabi Congio

Local:

1 –  BairroTatuapé – São Paulo – SP

3 – Itupeva – SP

Contato: fabicongio@gmail.com

Lavabo 2 – Arquiteta Kelly da Kfloreste

Local:

2. Jundiaí – SP

Contato: contato@kfloresteprojetos.com.br

Um toque de cor e de vida

Quando converso com alguém a respeito de decoração, projetos e afins, a primeira pergunta, a dúvida geral que encontro é a seguinte: qual cor colocar nesse ou naquele ambiente? Pinto ou não a parede da sala de x ou y cor?

Parece que sem cor o ambiente vai ficar sem graça, meio morto, com cara de hospital como muitos temem.

Num projeto de decoração completo a cor embora relevante não tem tanto peso quanto a maioria das pessoas imagina. O espaço preenchido ou vazio, a iluminação dirigida ou geral, os acabamentos e texturas, os móveis e objetos são na verdade a alma de um espaço. A cor nesse sentido vem somar e dar vida a um ambiente por si só harmonioso. Um bom projeto é aquele no qual qualquer cor encontra seu lugar, onde poderia ser substituída sem comprometer a harmonia, o todo.

Com o lay out – posição de todas as coisas – definido, com os móveis mensurados (ninguém quer comprar um sofá que não cabe na sala), com os acabamentos especificados (cimento queimado ou porcelanato, madeira ou laminado, etc)  somente aí nos preocuparemos com os detalhes. Nos damos conta então de que o projeto parte de outras premissas, outras necessidades. Para no fim, ser preenchido de vida. De cor. E essa cor não precisa necessariamente estar nas paredes ou nos móveis. Se nos colocarmos como observadores neutros, podemos perceber isso. Olha só essas imagens:

 

 

 

Recortei o original para que você possa captar melhor os detalhes. No primeiro quadro temos uma sala base. Cimento queimado, palha da mesa e outra fibra presente nas cadeiras, sisal do tapete – ou seja acabamento, móveis e objeto – são todos elementos neutros. Percebe que o destaque maior, o contraponto é o verde lá fora?

 

 

 

 

 

 

 

 

No segundo quadro temos os mesmos elementos e um vaso verde que chama a atenção novamente por se contrapor a neutralidade do restante do ambiente.

 

 

 

 

 

 

Por fim, no terceiro quadro (miniatura) temos mais objetos e vegetação interna reforçando a cor. Ela não deixou de aparecer. Poderia ser substituída tranquilamente por outra (azul, vermelho, amarelo) pois os elementos chave são todos neutros e permitem esse tipo de mudança. Eles seguram a onda.

Vejamos mais exemplos:

Essa idéia de base sólida e de cor que dá vida, pode se estender também aos adornos, aos objetos. Vamos nos apropriar de outra imagem:

 

Qual é o elemento de destaque para você nesse ambiente? Para mim, são as caveiras. Eu poderia até dizer que aí falta um pouco de cor, um tapete, algo assim. Mas definitivamente meu olhar é atraído para o dourado da caveira. Para seu toque inusitado. São itens que podem causar espanto, estranheza ou a mensagem de algo moderno, mas certamente não passam despercebidas. No restante o ambiente é novamente neutro. Apenas as caveiras e o quadro distraidamente _ ou não? – deixado atrás do sofá é que captam minha atenção nessa cena. E são apenas objetos, adornos. Percebe como a base bem feita é importante? Poderíamos trocar as caveiras por corujas marrons, pássaros de porcelana azuis, vasos vermelhos, objetos em tom de cobre, conseguiu imaginar? Nada disso importa. Nenhuma alteração desse tipo iria tirar a harmonia da cena, pois a base ali está bem definida.

Quer mais um exemplo?

 

Observando essa sala de jantar ai de cima você acha que falta algo? Sofá, cadeiras e piso são quase na mesma cor, alterando praticamente apenas os tons. Os aparadores lá atrás são em tom de madeira, objetos sobre eles também seguem os mesmos tons e características do restante do ambiente. Até o tapete que é colorido, parece não fugir dos tons presentes. Então que tal fazer um pequeno exercício? Imagine colocar nesse mesmo aparador algum objeto em vermelho. Ou amarelo, ou qualquer cor que lhe agrade (exceto é claro as que já estão ali). Destoou? Ficou bom? Virou ponto focal? Deu vida? Pesou??

Você faria algo parecido?

Deixe sua impressão aí nos comentários!! Queremos muito saber o que você pensa a respeito.

E assine nossa newsletter!! Vamos amar compartilhar com você um pouco de tudo que a gente vê.

 

Nota: todas as fotos são de clientes Brasipiso Moderno.

Rosa Velho, nada mais atual

Somos suspeitos para falar por que por aqui o cimento é o nosso queridinho. Mas… não somos os únicos a gostar dele não! Dá só uma olhada na última revista Arquitetura e Construção lançada em Outubro:

 

E não pára por aí!

A Ômega Light empresa de iluminação de São Paulo, citada outro dia no nosso post “Profissão: designer” lançou há pouco tempo uma luminária super bacana e contemporânea com um design maravilhoso e justamente nesse material. O cimento está com tudo!!

E você viu o último lançamento da Brasipiso Moderno?? Luxo!! Não tem outra palavra que traduza com mais precisão!!

É… cada vez mais moderno e contemporâneo!!